Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 31 de dezembro de 2011

O que a "Marcha dos Pinguins" tem a ver com a gente?


Estava na locadora e, por absoluta falta de opção, acabei escolhendo o filme "A Marcha dos Pinguins". Até me surpreendi ao ver que o filme havia sido premiado. "O que um filme sobre pinguins pode acrescentar à vida de alguém?" -- pensei.

O filme me surpreendeu. E me levou a perguntar: por que o filme "A Marcha dos Pinguins" é tão bonito? Por que a história dessas aves bípedes desengonçadas chega a ser comovente?

É porque essa marcha não é dos pinguins. É a marcha de todos os animais sencientes, que lutam para sobreviver. É, portanto, também a marcha dos seres humanos.

A incrível jornada dos seres senscientes para produzir mais vida.
A marcha dos humanos têm uma vantagem e uma desvantagem em relação a marcha dos pinguins. A desvantagem é que os seres humanos, exceto quando estão bem anestesiados pela religião, temos consciência da morte e da própria decadência, o que gera ansiedade e questionamento pelo sentida da vida em razão da própria mortalidade.

A vantagem dos seres humanos é possuímos cultura (incluindo aí ciência e tecnologia) e, a cada geração, a marcha dos humanos é um pouquinho diferente. E chegará um momento em que os seres humanos redesenharão completamente a própria marcha, procurando se libertar de todos (ou atenuando-os) os aspectos da condição animal que geram sofrimento e ansiedade. Talvez seja esse o destino da evolução: a matéria produz vida, a vida torna-se inteligente e consciente da própria condição. Para não sucumbir à tristeza e ansiedade, a vida inteligente imagina paraísos (religião) e, gradualmente, se move para tentar alterar o meio ambiente e sua própria condição para aproximá-los de suas fantasias e libertar-se dos limites arbitrários e cegos impostos pela evolução. Como pontuou Richard Dawkins: "É muito plausível que no universo existam criaturas semelhantes a deuses. É muito importante entender que esses deuses foram feitos por um explicável progresso científico de evolução incremental."

Vale a pena conferir este filme.

Nenhum comentário:

Postar um comentário