Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 2 de abril de 2011

Carros que se dirigem sozinhos, sem motorista (Driverless Cars)



O "Gmail Motion" não existe, mas nem tudo que parece fantástico é mentirinha. No vídeo acima (a legenda em pt-br deve demorar ainda algumas semanas para sair), o engenheiro Sebastian Thrun conta que desde criança foi apaixondo por carros e, na juventude, perdeu o melhor amigo em um acidente automobilístico. A partir daí, resolveu dedicar sua vida a tornar o trânsito mais seguro, de forma a poder salvar mais de um milhão de vidas por ano. 

E vamos aproveitar o assunto para verificar como o senhor Raymond Kurzweil está se saindo com suas previsões. Estariam elas se cumprindo? (para conferir uma compilação completa, pelo próprio Kurzweil, de suas previsões: http://www.kurzweilai.net/predictions/download.php -- alerto para a excessiva citação de feitos/empreendimentos do próprio Kurzweil, o que faz o documento parecer uma peça de marketing).

Pois bem, uma das profecias de Kurzweil consideradas erradas (até ele admitiu isso, talvez estrategicamente) é a de que em 2009 existiriam carros que se dirigem sozinhos, sem motoristas. Este era um grande desafio da engenharia, havia um prêmio do Departamento de Defesa dos EUA (DARPA) para a equipe que vencesse o desafio de construir um carro que se dirige sozinho no deserto.

Em 2010, a imprensa dos EUA flagrou os "Google  Driverless Cars", alguns carros estranhos que entravam e saiam das instalações do Google sem que o motorista precisasse colocar as mãos no volante.



A previsão estava errada quanto à disseminação da tecnologia (nós não temos estes casos), mas não quanto à sua possibilidade de implementação técnica, que pareceria um sonho na década de 90, mas foi atingida. O Google alega que, além de salvar vidas, a tecnologia pode diminuir os congestionamentos (ajudando a reduzir as emissões de CO2) e permitir que motoristas façam algo mais criativo com seu tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário