Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 10 de julho de 2011

Sam Harris: ciência versus religião

Ontem assisti à fala de Sam Harris no BigThink. Achei excepcionalmente boa! 



A palestra é dividida em pequenos trechos e acho que todos podem ser encontrados legendados no youtube. Vale a pena repassar e divulgar. Eis alguns trechos:



(clique e vá ao site do youtube para ver as legendas)

Dentre os argumentos de Harris, encontrei exatamente o argumento que me levou a perder a fé na bíblia e em qualquer religião, há muitos anos atrás:



Fiz algumas críticas à Revista Veja aqui, mas a revista merece elogios pelo espaço que dá à cobertura do secularismo. Confira-se, por exemplo, as excelentes entrevistas abaixo:

A religião faz mal ao mundo
Não acreditar em Deus é um atalho para a felicidade

Trecho de uma das entrevistas:

Revista Veja: O senhor acha que o mundo seria melhor sem religião, sem fé, sem crença em Deus?
Sam Harris: Seria melhor se não houvesse mentiras. A religião é construída, e num grau notável, sobre mentiras. Não me refiro aos espetáculos de hipocrisia, como quando um pastor evangélico é flagrado com um garoto de programa ou metanfetamina, ou ambos. Refiro-me à falência sistemática da maioria dos crentes em admitir que as alegações básicas para sua fé são profundamente suspeitas. É mamãe dizendo que vovó morreu e foi para o céu, mas mamãe não sabe. A verdade é que mamãe está mentindo, para si própria e para seus filhos, e a maioria de nós encara tal comportamento como se fosse perfeitamente normal. Em vez de ensinarmos as crianças a lidar com o sofrimento e ser felizes apesar da realidade da morte, optamos por alimentar seu poder de se iludir e se enganar.


***

Onde não concordo com Harris: que todos podem ser seculares como ele. Há questões sociológicas, biográficas e talvez até neurobiológicas (diferença de perfis neurobiológicos) envolvidos aí. Uma coisa é você crescer em uma família secular e ser filósofo e neurocientista por Stanford e fazer do debate de ideias seu meio de vida. E, além disso, ter um certo "perfil neurobiológico", vamos chamar assim. Outra coisa é você nascer em uma família religiosa, passar a vida realizando outros tipos de trabalhos (acho que não seria uma maluquice levantar a hipótese de que na era industrial pensar demais pode até atrapalhar o desempenho em certos trabalhos) e não ter o mesmo "perfil neurobiológico". O trabalho de Harris tem valor? Na minha opinião tem e muito! Mas há mais de século a religião é amplamente atacada e isso não acabou com ela. Na minha opinião, precisamos de alternativas. Por exemplo, aquela de que cuida deste blog: cultivar projetos de engenharia semelhantes a alguns dos melhores contos de fadas da religião, mas conscientes de sua natureza: é um sonho, um ideal, uma possibilidade, o melhor que temos a nossa disposição com os recursos que temos (inclusive com a honestidade).

Para encontrar livros de Sam Harris:
http://www.estantevirtual.com.br/mod_perl/busca.cgi?pchave=Sam+Harris&alvo=autor+ou+titulo

Um comentário:

  1. Leio qualquer coisa. Adoro os filósofos e cientistas. Não conheço as obras neo-ateístas, mas lerei. Mas vamos nos lembrar que já achei um equívoco do autor Harris: "política mara menos que religião", basicamente isso. Não está certo. O comunismo matou cerca de cinquenta milhões confirmadamente, o Nazismo também matou muito.

    O ser humano tende a ser fanático, até mesmo em nome da ciência pode ocorrer grandes guerras futuras.

    ResponderExcluir